Segmento de Produtos Infantis

Não é novidade para ninguém que o mercado online tem crescido exponencialmente mesmo com a crise que o país passa. Isso ocorre porque ainda está relativamente no começo, mais empresas estão reconhecendo a importância de estar online e está aumentando o número de consumidores com acesso a internet.

Sim, no Brasil ainda existem muitas pessoas sem acesso a internet, segunda a última pesquisa do IBGE os domicílios com acesso a internet está na casa dos 50%. Desse total, muitos ainda não tem o hábito de comprar online. A tendencia é que isso mude.

Desses segmentos existem alguns que mais se destacam como o segmento de produtos infantis. Isso ocorre por alguns motivos, entre eles podemos destacar:

  • variedade de produtos e estilos
  • público apto a consumir

Imagina, quando você faz uma pesquisa na internet o retorno de resultados é imenso. Você tem acesso a muitos tipos de produtos, as lojas virtuais tem menos problemas com estoque, e marcas. Além de muitas vezes o preço ser mais acessível online do que nas lojas físicas. Em uma loja convencional você encontra 3 ou 4, quando encontra, diferentes tipos de modelo, sem contar que na internet é grande o número de artigos customizados e peculiares, veja por exemplo, você pode encontrar body infantil personalizado de diversas estampas e modelos que dificilmente você encontraria em uma loja. Isto ocorre porque é complicado pra loja lidar com muitos modelos, tem custo de estoque, etc.

O público está muito propenso a comprar pois precisará dos produtos. Imagine, tem que comprar todos os artigos, alguma coisa as pessoas emprestam de familiares, outros fazem questão de comprar tudo novo. Imagine quantos artigos deve ser comprados e quanto é gasto. Se sua loja virtual estiver presente na hora certa pode faturar alto.

Existem ainda itens que serão recorrentes durante um bom tempo como pomadas e fraldas. No caso específico das pomadas, as importadas conquistam a preferência e são dificílimas de encontrar e quando são encontradas em loja e farmácias o preço é altíssimo. Tem gente que começa a importar e se dá bem nessa brincadeira.

As potencialidades são muitas, são diversos artigos, atualmente existem produtos que você provavelmente nem sabe que existe e pra que serve, mas existem e tem gente que compra. Esteja de olhos abertos pra essa novidade, já é promissora e a tendência é crescer cada vez mais.

Segundo a Pegn a tendência é que os pais passem investir mais dinheiro em coisas sofisticadas.

segmento infantil

Entre elas estariam os segmentos de moda e beleza, eventos, educação particular e mercado de experiências.

Adsense nos feeds do FeedBurner e a discriminação com anúncios

Não, não é um hoax.

Que o FeedBurner é propriedade da Google, muita gente já sabia. Mas o melhor está bem próximo de vir.

adsense feedburner

O Steve Olechowski, co-fundador do FeedBurner, disse em seu blog que falta muito pouco para integrar o Adsense aos feeds gerenciados pelo FeedBurner. Isso significa que os leitores fiéis também poderão visualizar anúncios em seus agregadores prediletos.

Com essa notícia, veremos o que irá acontecer daqui pra frente. Será que os blogs ganharão ou perderão mais leitores em virtude dos anúncios nos feeds?

Existe um velho tabu de que leitores fiéis não clicam em anúncios. Algo como “leitores fiéis são mais inteligentes para se esquivar das propagandas”.

De fato, leitores clicam menos em anúncios, não pelo fato de fugirem da propaganda, mas sim pelo fato de já estarem acostumados com a disposição dos anúncios do blog e irem “direto” ao conteúdo, não dando muita – ou nenhuma – atenção às propagandas, ou sejam, elas passam despercebidas. Quando ocorre de o leitor “fugir” da publicidade, é porque algum blogueiro (se não o próprio autor) age com uma certa discriminação com a monetização do blog alheio, e acaba passando essa “tensão” para o leitor – calma que eu explico mais embaixo.

Não lembro onde, mas li em algum lugar, assim que estava começando este blog, pessoas comentando sobre um artigo que falava sobre monetização e anúncios colocados no meio do texto. A resposta para o artigo era algo como “puxa, e eu acabei clicando sem saber!”, ou então, “vou me policiar para não clicar mais em anúncios”.

Pára tudo! Quer dizer então que agora, clicar em anúncios é considerado algo impuro, digno de ter o seu coração arrancado com uma colherzinha de plástico, daquelas que você come bolo em aniversário de criança?

Ou ainda: que só clicam nos anúncios os “paraquedistas burros e ingênuos”, que não sabem distinguir os anúncios do conteúdo do site, clicando em tudo que aparece pela frente? Desde quando propaganda e publicidade é algo ruim para a humanidade?

Sejam sinceros comigo (eu vou querer a resposta nos comentários): quando vocês vêem algum anúncio relevante em algum blog, o que vocês fazem?

a) Anoto a URL, abro uma nova janela (ou aba) do navegador, digito o endereço e vejo o que quero.

b) Clico com o botão direito no anúncio, copio a URL, abro uma nova janela (ou aba) do navegador, colo a URL, apago os dados do script até deixar só a URL do site e (ufa!) vejo o que quero.

c) Não clico (apesar de ficar mor-ren-do de vontade), pois não gosto de propaganda em blogs. Bem, pelo menos, não gosto de propaganda em outros blogs a não ser o meu – caso você tenha um.

d) Clico, ora bolas!

A depender do caso, eu não considero propaganda em blogs algo ruim, muito pelo contrário. A propaganda oferece ao leitor uma possibilidade de agregar algo novo e interessante à sua navegação. Daí o fato de os paraquedistas clicarem mais em anúncios: eles são bem mais espontâneos que os próprios “leitores tensionados”.

Os paraquedistas enxergam a propaganda como um bônus, algo como “se você gostou daqui, olhe isso que parece ser bom”, e gostam do que encontram. Só não sei se a palavra para descrever isso seria burrice ou ingenuidade, como muita gente descreve. Aliás, nenhuma das duas. O cúmulo da avareza é deixar de clicar em algo que você achou interessante, só para “não correr o risco” de o autor ganhar algo em cima daquilo, enquanto o dinheiro para as campanhas publicitárias sequer saiu do seu bolso!

Se você começar a prestar mais atenção nos anúncios dos blogs a partir de agora, verá que encontra muita coisa legal por aí afora, a depender da pauta do blog, é claro. E se o anunciante está disposto a gastar algum dinheiro para divulgar aquilo, é mais um sinal de que você tem grandes chances de gostar do vai que encontrar.

Enquanto os egos inflam e as ameaças de blogueiro vs. blogueiro aumentam, considere se despreocupar com tudo isso e navegar à vontade.

Só não reclame quando eu colocar o Adsense nos feeds daqui.